sexta-feira, abril 26, 2013

Pierre Bourdieu e A Dominação Masculina



Resenha do livro

No livro do filósofo Pierre Boudieu “A dominação Masculina”, de 1998, o discurso de dominação imposto por uma tribo Africana é a base especulativa para que o autor faça uma analise social e antropológica da posição dos gêneros nas sociedades. Ele discute as origens do papel social delegado a mulher e ao homem, e cria relações entre a cultura do povo berbere “Cabila”, habitantes de região montanhosa da Argélia, e a cultura ocidental, discutindo as semelhanças nas relações de dominância masculina corporificadas no ordem do cosmos.  Boudieu expressa através deste estudo que a posição social da mulher em vários aspectos das sociedades estudadas, é de submissão total e que estas posições se reproduzem durante todas as épocas, até que no século XX, com os movimentos feministas, houveram as primeiras discussões que trouxeram mudanças. A entrada da mulher no mercado de trabalho e no sistema educacional, antes somente permitido ao homem, são fatores decisivos. Mas, a época do texto, a expressividade destas mudanças é pontual, ou seja, estavam se processado. Assim, ele diz sobre as condições entre feminilidade e poder assumidas pelas mulheres:

“Ser ‘feminina’ é essencialmente evitar todas as propriedades e práticas que podem funcionar como sinais de virilidade; e dizer de uma mulher de poder que ela é ‘muito feminina’ não é mais que um modo particularmente sutil de negar-lhe qualquer direito a este atributo caracteristicamente masculino que é o poder.”

Para Bourdieu, estas posições estão bem definidas e fazem compreender na complexa trama de convenções sociais que a posição feminina de objeto inferiorizado, mesmo fora do contexto cultural dos Cabila, segue um padrão muito parecido de submissão e domínio, onde o homem define-se e é definido como o padrão dominante.
O interessante é notar no texto de Bourdieu seu caráter “instrutivo” que ele mesmo reafirma na sua conclusão. Assim, cedendo ante à necessidade de justificar seus interesses na discussão da “dominação simbólica”, argumentando que o resultado de sua pesquisa seria “capaz de orientar de outro modo não só a pesquisa sobre a condição feminina, ou, de maneira mais relacional, sobre as relações entre os gêneros”, Bourdieu expõe a opinião de que o que se escrevera até então, quase que exclusivamente por mulheres no trabalho da critica feminista, carecia de orientação. Uma orientação masculina, percebe-se na fala dele.
Em resumo, é uma leitura importante no que tange ao entendimento das relações sociais.
É possível encontrar o texto no link: 

4 comentários:

  1. Olá linda, tudo bem?
    Estou passando aqui para agradecer pela sua visitinha em meu blog
    e dizer que estou seguindo o seu cantinho tá ? Poderia me seguir e curtir a minha fanpage também?
    Ficarei muito agradecida.
    Outra coisa, eu li o texto e achei bem legal, mas não faz muito meu gênero de leitura não, apesar que a gente tem que ter a cabeça aberta para conhecer outros tipos de literatura. Mas enfim...Tá de parabens pela resenha viu ?!


    Ahhh antes que me esqueça, depois vai ver a super novidade
    que pintou lá no meu blog. Estou mega feliz e espero que você venha compartilhar da minha alegria.
    Se cuida minha linda

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Ainda estou pegando o jeito desse negócio de blog!

      Excluir
  2. Olá linda, tudo bem?
    Olha, primeiramente estou passando aqui para agradecer sua visitinha em meu blog no dia do meu aniversário e principalmente quando fechei parceria com a Editora Dracaena, pois fiquei feliz com sua mensagem e tinha que vim aqui retribuir de alguma forma seu carinho =]


    Enfim...
    Olha linda, mais tarde estarei postando uma resenha em meu blog também
    Dá uma passada lá para dar sua opinião.
    Espero que goste
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    https://www.facebook.com/pages/I-Love-My-Books/176089529213381?ref=tn_tnmn

    ResponderExcluir

Faça seu comentário aqui: